A Dança das Luzes

Ano

2013 e 2019

Fotógrafo

FABIO SOLA

O abstrato que surge da superexposição de luzes

Quem vê uma apresentação de dança contemporânea pode traçar linhas com os movimentos realizados. E elas nunca são geométricas. A criatividade pulsante e livre ganha asas e muda as sequências elétricas cerebrais mais esperadas. É dessa energia que me inspirei nestes trabalhos.

O nome da obra não veio sem outra grande inspiração. Se a dança é visual, o free jazz é auditivo. Foi do improviso que surgiram as linhas melódicas da foto acima. Uma junção de ideias, feitas sob certo controle, mas com bastante liberdade.

A fotografia acima é uma sobreposição de carros passando na rua capturados com um a dois segundos de exposição a partir de um ponto de vista do alto.

Escolhi a exibição vertical de propósito, mas quando a colocamos no formato horizontal ela pode sugerir algumas novas ideias para decoração.

A Dança das Luzes 2
Free Jazz | Eu quero! | Como fica na parede

Raios de Swoosh

A Dança das Luzes 3
Raios Luzes | Eu quero! | Como fica na parede

“Swoosh” é essa linha que começa com uma pequena curva e se extende indicando uma continuidade ao infinito. O nome vem do logotipo do fabricante de calçados esportivos Nike, uma das marcas mais reconhecidas do mundo.

Nesta minha captura a repetição do swoosh foi um mero acaso. Foi como a minha mão se comportou ao captar luzes numa sala escura. No alto da fotografia eles começam aos poucos, mas quando o olhar persegue a parte de baixo, a repetição ganha o infinito.

Abstratos

O que eu mais gosto nos poucos trabalhos abstratos que faço é a liberdade em realizar ideias. Como não existe compromisso, é daí que me permito inventar e descobrir novas técnicas que posso futuramente utilizar em outros trabalhos.